terça-feira, 17 de maio de 2022

FBV159.05 Tensão entre irmãos

 Decorreram vários dias, e Dick pôde observar mais claramente os desregramentos do irmão. Gilbert embebedava-se com frequência, tinha tremendos acessos de cólera...e quando Dick tentava aconselhá-lo... respondia-lhe brutalmente. Dick dominava-se, insistia, enchia-se de paciência, mas, numa noite em que voltavam de Misoula, já em casa e na presença de Lee, a paciência esgotou-se-lhe. 

— Basta! ... — bradou, depois de ouvir uma série de tolices e de insultos. — Faz o que quiseres, enforca-te no teu estúpido orgulho! Continua a esbanjar oiro para que te odeiem cada vez mais, continua a vestir-te como um palhaço, a insultar, a humilhar, a proceder como um carrasco e como um bêbedo! Mas não contes comigo! Não posso mais! Amanhã mesmo parto da mina e de Misoula, e não espero voltar a ver-te outra vez! 

Os olhos de Gilbert, raiados de vermelho, congestionados pelo álcool, tiveram um fulgor estranho. 

segunda-feira, 16 de maio de 2022

FBV159.04 O percurso da degradação de um homem cheio de ouro

 

Dick dormiu algumas horas e, quando acordou, encontrou-se com Stevens.

— Olá.

— Olá, Dick! Dormiste bem? 

— Como uma pedra. Já é noite, não? 

— Sim, e suponho que deves ter agora vontade de comer. Vou arranjar-te alguma coisa. 

— És muito amável. A propósito, onde está o meu irmão? 

— Foi a Misoula. Pediu-me para te avisar, quando acordasses. Espera-te no "Strafford Saloon". Já partiu há umas três horas. 

Stevens afastou-se por momentos e quando voltou trazia uma bandeja com pratos e comida. Dick, que tinha realmente fome, fez honras à refeição. Stevens sentou-se num cadeirão forrado de pele de cabra, e acendeu o cachimbo. 

domingo, 15 de maio de 2022

FBV159.03 Reencontro entre irmãos

 As portas de mola foram empurradas nessa altura, e dois homens entraram. O primeiro era forte, de expressão rude, o outro, era magro e tinha um ar de desprezo ou de hostilidade. Eram o xerife Lon Toomey e o seu ajudante Aaron Weis. Ambos tinham vindo atraídos pelos ecos das detonações, mas um relance de olhos bastou ao xerife para compreender de que se tratava. Grunhiu: 

— Talvez você se divirta assim, Gilbert Steiner, mas aconselho a que vá fazer isso noutro sítio. Pode distribuir o seu oiro sem alterar a ordem... 

— Talvez esta gente se divirta também, xerife... - redarguiu Gilbert. — Pergunte o que eles pensam do caso. 

— De qualquer modo, eu não acho graça a isto e já lhe dei o conselho que tinha a dar... — o xerife interrompeu-se, olhou para Dick e perguntou —. É novo por estes sítios, não? 

sábado, 14 de maio de 2022

FBV159.02 O homem das balas de ouro

Um cavalo chegou a todo o galope, à rua principal de Misoula. O homem que o montava saltou para o chão e encaminhou-se na direção do "Strafford Saloon". Vestia de uma forma estranha, demasiadamente janota e vistosa. Uma sobrecasaca clara, às riscas, calças escuras, chapéu largo e meias botas, lustrosas, castanhas. Tudo novo, tudo luxuoso, a cheirar bem. 

O homem era alto e de aspeto decidido. Entrou no "saloon" e encaminhou-se imediatamente para Dick Steiner, de braços espetacularmente abertos.

— Dick, meu rapaz!

— Olá, Gilbert...

— Sabia que devias estar à minha espera!

— E eu supunha que tu me esperasses. A que distância fica a tua mina?

— Menos de quatro milhas...

— Olympia fica a umas quantas centenas... era de esperar que chegasses primeiro.

sexta-feira, 13 de maio de 2022

FBV159.01 O estranho caso dos homens pendurados pelo pescoço

 O cavaleiro parou, para observar um corpo pendente da árvore. 

— Mais um... — murmurou. — Cinco, com este... 

Encolheu os ombros e incitou o cavalo, deixando o cadáver onde estava. Era talvez um aviso, e seguramente desagradável, para quem passava por ali, pensou Dick Steiner. 

Durante a longa jornada desde Olympia, no Estado de Washington. tendo atravessado várias fronteiras e percorrido todas as paisagens, nada vira de semelhante àquilo. Mas, mal transpusera a fronteira entre Idaho e Montana, começando a subir a vertente do Colúmbia, o seu primeiro encontro havia sido com um enforcado. Depois outro...e mais outro. Cinco. 

E decerto não eram só aqueles os que encontraria no seu caminho até Misoula. A cerca de duas milhas de Misoula, deparou com o sexto enforcado. Pensou que aquela gente devia divertir-se a pendurar homens pelo pescoço, talvez para afugentar os maus espíritos. Ou talvez fossem ladrões de gado justiçados pela inexorável "Lei de Lynch". De qualquer modo, o costume de deixar os corpos pendurados tinha qualquer coisa de repugnante. E haveria assim tantos ladrões de gado, naquela região?

Dick Steiner voltou a encolher os ombros. Não lhe competia investigar aquilo. Pensou apenas que a Justiça, em Misoula, era feita com cerca dureza e ausência de formalidades. 

Pouco depois, entrou na povoação e percorreu a rua central até parar em frente de um dos "saloons” em cuja tabuleta se lia: "Strafford Saloon". 

Desmontou, deixou o cavalo junto à barra e subiu os degraus da entrada. O "saloon" estava bastante cheio, apesar de não ser a hora de maior movimento. 

Aproximou-se do balcão, pediu cerveja e bebeu três copos, uns após outros. Tinha realmente sede. 

Depois olhou em volta, tentando descobrir a cara conhecida que o fizera viajar desde Olympia. Não estava ali. Resolveu esperar, descansando durante alguns minutos. 

Quando tivesse falado com Gilbert, dormiria uma boa sesta. Estava cansado. Vagamente, no seu espírito passavam os vultos dos seis homens enforcados que encontrara no caminho. 


quinta-feira, 12 de maio de 2022

FBV159 A lei de Lynch

Ao chegar às imediações de Misoula, Dave Steiner teve a grande surpresa de se deparar com o corpo de vários homens dependurados de árvores.

Misoula era uma povoação de suporte a pesquisadores de ouro entre os quais se encontrava o seu irmão Gilbert entretanto enriquecido e que o convencera a vir até junto dele.

Dave estava muito longe de supor o espetáculo que iria encontrar. Para além da estranha mania de deixar homens dependurados, Gilbert apareceu-lhe como um idiota que utilizava balas de ouro para ostentar a sua riqueza.

Ciente dos perigos dos actos do irmão, entretanto a abusar do álcool, Dave avisou-o com a possibilidade de alguma armadilha e a verdade é que estava a pensar corretamente. Um dia, o juiz Marlowe, pai da encantadora Elizabeth cortejada por Gilbert e pelo malvado advogado Merrill, apareceu morto com uma bala de ouro.

A cruzada de Dave para demonstrar a inocência do irmão foi infrutífera durante a vida deste, mas serviu para mostrar que é sempre bom saber escolher os sócios em explorações mineiras.

Esta novela, de um autor praticamente desconhecido (Bernard Lee) é muito interessante, apesar da escrita cheia de reticências por vezes se tornar desagradável. A Lei do Lynch, que pareceu a Dave tão selvática, acabou por demonstrar a sua necessidade e este teve de aplica-la contra indivíduos pouco sociáveis.

A capa do livrinho é excelente contrastando com o vendaval de capas horrorosas que se seguiria nas coleções da APR e constata-se o facto de a coleção já não apresentar o número seguinte o que era uma prática muito interessante. Na contracapa, mais um cromo da História de Lisboa sem a respetiva indicação e sem identificar autoria que supomos de Carlos Alberto Santos.

quarta-feira, 11 de maio de 2022

BRV220. Três rebeldes

 (Coleção Bravos do Oeste, nº 22). Capa e texto indisponíveis

BRV219. Ouro para Juarez

 (Coleção Bravos do Oeste, nº 219). Capa e texto indisponíveis

BRV218. A sombra do enforcado

 (Coleção Bravos do Oeste, nº 218). Capa e texto indisponíveis

BRV217. Marca de traição

 (Coleção Bravos do Oeste, nº 217). Capa e texto indisponíveis

BRV216. Escravos de pele vermelha

 (Coleção Bravos do Oeste, nº 216). Capa e texto indisponíveis

Outras passagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...